segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Criação em sete dias ou milhões de anos?



Considero-me criacionista porque creio que Deus criou tudo o que existe. Mas que diferença faz se Ele criou a Terra em sete dias de 24 horas ou ao longo de milhões de anos? Em ambos os casos, Deus é o Criador.

Atualmente, muitos cristãos acham que não é necessário acreditar que a Criação ocorreu em seis dias de 24 horas há menos de 10 mil anos. Segundo eles, essa crença não faz qualquer diferença nas doutrinas bíblicas, em nossa salvação ou na vida prática. Tenho a convicção de que nossa crença sobre as origens é fundamental para as doutrinas bíblicas e nossa vida prática. E aí está incluída principalmente nossa salvação. Vejamos algumas razões para essa convicção:

1. O caráter de Deus. Em primeiro lugar, essa questão tem a ver com o caráter do Deus que adoramos. Algum tempo atrás, uma amiga me disse que pensava que “severo” e “carrancudo” são características de Deus. Eu lhe respondi: “Eu nunca adorei um Deus assim. Apesar de ser um Deus de justiça e misericórdia, Ele nunca é severo ou carrancudo.” E poderia ter acrescentado: “Ele nunca é cruel.” Que tipo de Deus teria criado a vida por meio da morte e extinções ao longo de milhões de anos? Certamente, não o Deus que percebe quando uma ave cai no chão! 

Romanos 5:12 afirma que a morte entrou no mundo por causa do pecado. A entrada do pecado no planeta Terra é descrita em Gênesis 3, quando Adão e Eva desobedeceram a Deus e sofreram a consequência: a morte. Mas, em vez de aceitar o claro ensino bíblico de que a morte é um resultado do pecado, alguns cristãos apresentam a morte como o próprio meio que Deus usou para criar! Com isso, parece que Satanás, cujo maior objetivo é distorcer o caráter de Deus, conseguiu levar pessoas a crer em dois enganos: (1) Deus cria por meio de sofrimento, violência, catástrofe e morte; e (2) a morte não é o resultado do pecado, mas o meio para que ocorra o progresso das criaturas. 

Pensemos sobre o caráter de Deus em termos de “evolução criativa”. Suponha que Deus realmente tenha criado ao longo de milhões de anos. Em que momento do processo surgiu a consciência moral? Quando a humanidade se tornou moralmente responsável? Em que ocasião na história primitiva Deus mostrou aos seres humanos que Ele é um Deus que cuida e em quem se pode confiar? Mesmo se pudéssemos estabelecer um momento na história em que Deus comunicou Seu amor a mentes que poderiam raciocinar, por que demorou tanto tempo? O caráter de Deus é severamente atacado por teorias de que Ele usou milhões de anos para criar. 

2. A salvação. Se a humanidade tem evoluído durante milhões de anos e está sempre evoluindo, por que precisamos de um Salvador? Não haveria qualquer necessidade de uma morte em nosso lugar, ensino apresentado em Gênesis 3:15, desenvolvido ao longo do Antigo Testamento e se cumprindo na morte de Cristo na cruz. Se não é o pecado que traz a morte (Rm 6:23), então não precisamos de um Salvador que remova a morte que recebemos como consequência do pecado. 

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Existe algo de errado em bater palmas nos cultos da Igreja?


Era noite de sexta feira e eu me sentei debaixo de uma grande tenda da reunião campal enquanto ouvia o programa musical que precedia o pregador da noite. Depois de mais de quarenta anos assistindo às reuniões campais da Igreja Adventista do Sétimo Dia, esta era sem dúvida mais uma experiência familiar e agradável. Era bom estar em comunhão com o povo de Deus.
Mas desta vez fiquei chocado. Assim que os primeiros músicos terminaram a sua apresentação, enquanto saíam da plataforma, o auditório aplaudiu! Novamente, em seguida ao próximo número, e ao próximo. Isto foi inédito para mim, comecei a sentir-me bastante incomodado. Por um momento questionei minha própria consciência. É o santo Sábado, não é? Isto é um culto sagrado, não é? Porquê o aplauso?

Como havia assistido a outras reuniões campais e cultos adventistas durante muitos anos, tentei racionalmente e biblicamente parar e analisar meu desconforto e esforçar-me para responder uma pergunta fundamental: há alguma coisa de errado em bater palmas nos cultos da Igreja?
Um Ambiente Secular

Depois de algum tempo de convivência com o aplauso nos meios cristãos, inevitavelmente adquire-se uma atmosfera secular. Histórica, sua jurisdição foi o teatro, a arena de esportes competitivos, os grandes eventos sociais. Sua intrusão no culto sagrado ofende as sensibilidades espirituais dos que foram criados com outra compreensão. Para eles, o aplauso durante um culto sagrado altera o foco da ligação vertical com Deus para uma linha horizontal.

As luzes neste palco focam o humano enquanto apagam o divino e o mandam para os bastidores. Seculariza-se o sagrado. É um ruído que desconcentra, como um ritmo de música rock em pleno culto de adoração.
Bater palmas ainda é outro indicador de nosso conceito variável da grandeza de Deus. Reinventamos Deus à nossa própria imagem. Falamos d’Ele considerando o que cremos que Ele é ou deveria ser. Sua soberania, onipotência e santidade foram suplantadas por algo com qualidades mais humanas. Afinal nosso novo Deus não leva tão a sério os detalhes, estávamos enganados; mas agora compreendemos isso. Assim pensamos nós.

O serviço israelita do santuário foi planejado para criar respeito pela santidade de Deus. Todo o ritual, todo o utensílio era envolvido com santidade. Quando foram incinerados dois jovens sacerdotes que chegaram intoxicados à porta do tabernáculo, Deus disse a Moisés, “Serei santificado naqueles que se cheguem a mim, e serei glorificado diante de todo o povo.” (Levíticos 10:3).

Nós adoramos o mesmo Deus. O fato de nossas igrejas estarem equipadas com sistemas eletrônicos e instrumentos musicais não faz com que a santidade de Deus diminua, pelo contrário. Temos que aumentar, não diminuir, a diferença entre o santo e o profano, o limpo e o sujo (veja Ezequiel 22:26).

Os Adventistas do Sétimo Dia entendem que, na conclusão do grande conflito, a adoração é o assunto principal. Sempre entendemos que a batalha se travaria em relação a um dia especial; agora sabemos que também incluirá a forma. Bater palmas tem parecido ser inofensivo para alguns, mas na realidade está deixando o “nariz do camelo” da influência secular entrar na igreja. Gritar, assobiar, e ritmar com o pé ainda não chegou (pensa o autor, mas estas práticas já tomaram lugar em várias reuniões adventistas, inclusive em Lisboa no Congresso Jovem), mas podem estar muito distantes? Aqueles que ousam tocar a montanha serão tentados a tocar a arca.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Áudio Livro: A Grande Esperança


O audiolivro que você está acessando é parte de uma grande campanha desenvolvida nos últimos anos em favor da esperança, com o objetivo de discutir uma visão do futuro para mudar o presente. É uma seleção de apenas 11 capítulos curtos, simples, mas provocativos. Discutem algumas das questões que mais interessam a todos nós, como: o porquê do sofrimento, a verdadeira paz, a vida após a morte e a vitória final do amor de Deus.
Reflita na mensagem deste pequeno audiolivro que apresenta uma grande proposta. Quem tem esperança, tem um grande futuro.

Fonte: ESPERANÇA

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Prêmio Comunicando Jesus na Web

Olá meus amigos e irmãos. Esta postagem é exclusivamente para fazer um comunicado a vocês.
 
O blog Gupo Virtual Adventista, está concorrendo pela primeira vez, o Prêmio Comunicando Jesus na Web. Portanto, se você está gostando do conteúdo deste blog, peço o seu apoio, votando em nosso blog. Veja como fazer:
 
1 – Para votar você precisa ter uma conta no Facebook, pois o processo de votação é feito com autenticação do Facebook. Crie sua conta agora mesmo: http://www.facebook.com/
 
2- Quando você estiver conectado em sua conta no facebook, basta acessar este link www.comunicandojesus.net/votacao/index.php;
 
3- Ao acessar esse link aparecerá em sua tela a seguinte frase: "Para votar nos sites que participam no Prêmio Comunicando Jesus ja Web, você precisa fazer o login usando sua conta do Facebook: Login com Facebook". Clique em LOGIN COM FACEBOOK;
 
4- Clique em "Clique aqui para iniciar a votação";
 
5- Na categoria blog, procure a opção GRUPOVIRTUALADV.BLOGSPOT.COM (se desejar, vote nas outras categorias);

6- Envie o seu voto clicando no botão "envie" no final da pagina. Pronto!!! Seu voto será registrado.
 
Ajude-nos divulgando para seus amigos e contatos. Muito obrigado por sua participação e que o Senhor te abençoe e te guarde.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

O Hábito da Leitura da Bíblia

Do livro “Manual Bíblico” de H. H. Halley páginas 715-730 destacamos:

“Todos devemos ler a Bíblia porque ela tem a solução da vida. Ela nos fala do melhor Amigo que a humanidade já teve, o mais nobre, o mais terno, o mais verdadeiro Homem que já pisou na terra.

É a mais linda história que já se contou; é a melhor diretriz da conduta humana que já se conheceu. Dá um sentido, um fulgor, uma alegria, uma vitória, um destino e uma glória à vista, que em nenhuma outra parte são revelados.

O contato individual direto com a Palavra de Deus é o principal meio de crescimento cristão. Todos os líderes de poder espiritual da história do cristianismo, têm sido leitores devotados da Bíblia.

A Bíblia é o livro de que vivemos. A leitura da Bíblia é o meio de aprendermos e de conservarmos nítidas, em nossa mente, as idéias que modelam nossa vida. Nossa vida é produto de nossos pensamentos. Para vivermos certo, precisamos pensar certo…

Nossa atitude para com a Bíblia é um índice muito seguro de nossa atitude para com Cristo.

Aceitai a Bíblia como, exatamente, ela é, pelo que ela se afirma ser. Não vos inquieteis com as teorias dos críticos. A tentativa engenhosa e imprudente da crítica moderna, por solapar a veracidade histórica da Bíblia, passará: ela, a Bíblia, permanecerá como luz que é da raça humana até aos fins do tempo. Firmai vossa fé na Bíblia. É a Palavra de Deus. Ela nunca deixará que soçobreis. Para nós, homens, ela é a rocha dos séculos. Confiai nos seus ensinos e sereis felizes para sempre.

Lede a Bíblia com reflexão. Lendo a Bíblia, precisamos vigiar-nos, rigorosamente, para que nossos pensamentos não divaguem, tornando-se a leitura perfunctória e sem sentido. Temos de resolver, resolutamente, fixar a mente no que lemos, esforçando-nos, ao máximo, por entender e ficando à espreita de lições que nos sirvam.”

Pedro Apolinário, História do Texto Bíblico, Capítulo 22.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

O Mistério dos Discos Voadores


Em um dia de verão, o empresário de Seattle, Kenneth Arnold, voava em seu avião particular perto do Mount Rainier, em Washington.
Olhando pela janela, ele ficou surpreso ao ver um grupo de nove objetos em forma de pires em alta velocidade através do ar. Quando ele relatou o ocorrido ao jornal Eastern Oregonian, eles publicaram a notícia como sendo “discos voadores”. Mal sabia ele que aquele dia, dia 24 de junho de 1947, marcou o início de uma era de observação do céu, que continua até hoje.
Apenas alguns dias depois, no início de julho, a queda de um objeto não identificado ocorreu perto de Roswell, Novo México. Mac Brazel, o fazendeiro, descobriu os restos de um acidente ao norte da cidade. Ele informou o ocorrido para a base da força aérea da região. Em 08 de julho de 1947, um oficial relatou que os escombros encontrados eram de uma nave de outro planeta. No entanto, os militares inverteram o seu relatório no dia seguinte, e afirmaram que, na verdade os destroços eram de um balão meteorológico.
Os moradores de Roswell mantêm a explicação original do fato. Eles construíram dois museus e um centro de pesquisa. Milhares de turistas têm sido atraídos para a cidade.
Para tornar conhecido o caso, Donald R Schmitt, diretor do Centro de Estudos de OVNIS e Kevin Randle, Capitão da reserva da Força Aérea dos E.U.A, escreveram um livro intitulado A Verdade Sobre a queda do OVNI em Roswell.
Esses eventos em Washington e no Novo México capturaram a imaginação do público. Mais de 850 avistamentos de “discos voadores” foram relatados pela mídia antes do final de 1947.
Como algumas pessoas temiam a invasão do espaço aéreo americano por aeronaves estrangeiras de alta performance, a Força Aérea Americana passou a investigar os relatos de “discos voadores” avistados sobre os Estados Unidos. Temendo uma ameaça à segurança nacional, em um programa chamado Blue Book, a Força Aérea investigou cerca de 12.000 avistamentos.
O termo OVNI (objeto voador não identificado) foi cunhado pelo Capitão Edward J Ruppelt, um chefe da investigação.
Além disso, a Força Aérea patrocinou um estudo independente de cientistas liderados pelo Dr. Edward Condon da Universidade do Colorado, que terminou em 1969. Depois de estudarem todos os dados disponíveis, não encontraram nenhuma evidência concreta de vida alienígena nos OVNIS. Eles afirmaram que nada poderia ser obtido por outras investigações. Em 1977, a Nasa recusou pedidos para continuar com as pesquisas.
(Veja enciclopédias: Americana 27, 369; Britannica 12, 130).

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Primeiro RPG cristão para computador ultrapassa 10 mil downloads

Lançado há algumas semanas, o primeiro game de RPG cristão para computadores ultrapassa a marca de 10 mil downloads. Intitulado de “Caminho Estreito” o jogo está disponível gratuitamente no site Internautas Cristãos, tendo como público alvo os jogadores de RPG que sentiam falta desse tipo de entretenimento.

No jogo é necessário guiar o jovem cristão, primeiramente chamado de Desesperado, até o Reino das Bem-Aventuranças. Para chegar até lá ele vai encontrar pela estrada diversos emissários do Senhor das Sombras que tentarão impedi-lo de chegar até o reino governado pelo Príncipe da Paz.

Para poder vencer essas barreiras que aparecerão em seu caminho, o jovem terá que usar seu escudo da fé e assim se proteger de todos os argumentos de religiosos, místicos, descrentes e pluralistas que tentarão tirá-lo do caminho.

Criado pela equipe do site Internautas Cristãos, o jogo serve não só para o público cristão, mas para não-cristãos como explica Incendiário, o diretor geral desse game. “O objetivo do game é duplo: oferecer ao público cristão uma diversão sadia e edificante, e transmitir as verdades da Escritura aos não-cristãos, isso tudo de forma gratuita”.

Diversos sites voltados para jogos já noticiaram o lançamento de “Caminho Estreito”, que foi produzido tendo como inspiração algumas obras clássicas do cristianismo como “O Peregrino”, de John Bunnyan, e “As Crônicas de Nárnia”, de C.S. Lewis e outros.

As reações dos usuários estão bem diversificadas, obviamente que os cristãos se mostraram mais receptivos a esse tipo de jogo que os outros usuários, mas também apareceu críticas de religiosos que ainda acreditam que o jogo de RPG é “coisa do diabo”.

“Por outro lado, também houve elogios por parte de alguns não-cristãos em relação à qualidade técnica e aos bons valores transmitidos na história, coisa rara em jogos de vídeo game”, diz o diretor que participou de todas as etapas dessa criação.

Fonte: GOSPELPRIME

Nota: Acredito que neste ponto as opiniões serão diversas realmente. Baixei este jogo e estou analisando algumas coisas. Seria interessante que cada um tivesse a oportunidade de analisar também. Porém, leve em consideração ao texto bíblico:
"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam." (I Cor. 10:23)
Uma imagem do jogo:


 Precisamos analisar algumas coisas neste jogo, tais como, origem, inspiração, elementos não cristãos, semelhança aos jogos seculares, edificação espiritual, incentivo a leitura bíblica, etc. Talvez o elemento principal em jogos de RPG, seja a Fantasia. O cristão não vive uma fantasia, mas buscam a a verdade. Acredito que o irrealismo nos distancia das coisas espirituais, assim como o própiro Deus.

Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida. Tirem suas próprias conclusões e levem em conta os ensinos bíblicos, fazendo alguns questionamentos:

01 - Este jogo me ajudará a crescer espiritualmente?
02 - É saudável?
03 - Traz ensinos de acordo com a Palavra de Deus?
04 - Qual é o objetivo principal?
05 - O que Jesus diria a respeito?

Estas são algumas questões que eu faria. Não sei qual a opinião de vocês. Apenas desejo e oro para que o Espírito Santo nos dirija com sabedoria em nossas decisões. Amém!

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Como é possível saber se um sonho é de Deus ou não?


Determinar a natureza específica de cada sonho de uma pessoa é um assunto muito complexo e subjetivo. Além dos “sonhos mentirosos” e não autênticos (Jr 23:32; 29:8 e 9), existem dois grandes grupos de sonhos reais. O primeiro e mais comum deles é o formado pelos sonhos naturais, que fazem parte do processo normal de descanso durante o sono, e cujo conteúdo pode apresentar-se de forma organizada ou desorganizada. Uma vez que “dos muitos trabalhos vêm os sonhos” (Ec 5:3), é provável que pessoas envolvidas em assuntos religiosos acabem sonhando com eles, sem que tais sonhos sejam de origem sobrenatural.
Já o segundo grupo básico de sonhos é formado pelos sonhos sobrenaturais, que podem ser de origem divina ou satânica. Os sonhos de origem divina têm normalmente um propósito salvífico bem definido, e podem ser concedidos tanto aos profetas verdadeiros (Nm 12:6), como aos membros comuns do povo de Deus (Jl 2:28), e mesmo às pessoas que não pertencem ao povo de Deus (Gn 41; Dn 2). Por sua vez, os sonhos de origem satânica são quase sempre fascinantes, e podem conter verdades, para confundir a pessoa. Suas predições podem até se cumprir, mas eles tendem a afastar, eventualmente e de alguma forma, a pessoa de Deus e de Sua vontade (ver Jr 29:8; Mt 24:24; I Pe 5:8).
Torna-se evidente, portanto, que tanto os sonhos naturais como os sobrenaturais (quer divinos ou satânicos) podem ter um conteúdo religioso. Além disso, o simples fato de Deus conceder um sonho sobrenatural a alguém não transforma essa pessoa automaticamente num profeta, como pode-se inferir das experiências de Faraó (Gn 41) e de Nabucodonosor (Dn 2). Embora todo profeta receba sonhos de origem divina (Nm 12:6), nem todos os que recebem tais sonhos podem ser considerados profetas. O chamado para os ministérios proféticos é algo diferente e bem mais abrangente.
A atitude de atribuir a Deus a origem de todos os sonhos de cunho religioso, e de buscar sempre um significado especial para o seu conteúdo, é altamente perigosa. Aqueles que assim agem são tentados a se considerar mais privilegiados por Deus do que os demais, tornando-se presas fáceis das artimanhas do maligno. Somos advertidos pelo próprio Deus de que todos os sonhos (até mesmo os dos profetas) devem permanecer subordinados à autoridade normativa das Escrituras. “O profeta que tem sonho conte-o como apenas sonho; mas aquele em quem está a Minha palavra, fale a Minha palavra como verdade. Que tem a palha com o trigo? – diz o Senhor” (Jr 23:28). ”À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva” (Is 8:20; ver também Mt 7:21-23; Gl 1:8 e 9; I Jo 2:4; 4:1).
Sonhos jamais são usados por Deus como um fim em si mesmos, mas apenas como um meio de nos aproximar mais dEle e de Sua Palavra (ver Jo 20:29). Ademais, não podemos permitir que nossa fé dependa de tais meios, possíveis de serem usados também por Satanás. Portanto, se você tiver um sonho que julga ser de procedência divina, mas não tem plena certeza disso, o mais prudente é tentar extrair dele uma lição positiva para a vida, até que a sua origem e o seu propósito fiquem mais bem esclarecidos.
Fonte: Alberto Timm, Sinais dos Tempos, julho de 1999, p. 29.
Fonte: SÉTIMO DIA

Jesus "fracassou" e DIDI irá "substitui-lo"


O humorista Renato Aragão, famoso pelo personagem Didi dos Trapalhões, vai estrelar um filme no qual viverá um suposto “filho de Deus”, enviado para cumprir a missão na qual Jesus teria falhado.
- Como Jesus veio à Terra e não conseguiu cumprir a sua missão, porque os homens não deixaram, Deus resolve mandar um segundo filho. Aí, sim, Ele cumpre a missão – explica Aragão sobre o roteiro do filme, segundo o site Padom.

A polêmica produção, intitulada “O Segundo Filho de Deus”, está sendo anunciada como tendo seu enredo será baseado em “contos bíblicos”, para contar a estória de que Jesus não cumpriu sua missão na terra, e por isso Deus envia o seu segundo filho para concluí-la.

Orçado em 8,1 milhões de reais, o filme será dirigido por Paulo Aragão, e será o 49º filme da carreira do comediante, que é também escritor, diretor e produtor.

Como escritor, Renato Aragão escreveu recentemente seu primeiro romance “Amizade Sem Fim”. Com claras alusões ao espiritismo, o livro conta história do jovem empresário Ely, que abre a mão de sua fortuna para empreender uma busca interior, recorrendo à regressão hipnótica, através da qual acaba descobrindo que numa de suas vidas passadas, foi amigo íntimo de Jesus Cristo.

- Até pensei em fazer regressão para escrever sobre o assunto com mais consciência, mas ficou só na vontade. No final das contas, pensei: ‘Ah, não vou entrar nessa não! – disse Renato sobre o livro.

Fonte: ADVENTOBLOG

Nota: É impressionante como as pessoas insistem em zombar do Nome de Deus. Jesus, como Filho de Deus, é Deus e se fez Homem como nós para nos mostrar que é possível se afastar do pecado e alcançar a salvação. Jesus foi perfeito em seu ministério enquanto esteve aqui nesta Terra e, com certeza, alcançou seu objetivo. 

Satanás quer de todas as formas lançar a verdade por terra, mas isso logo vai acabar. Temos a certeza disso, pois nossa a nossa Grande Esperança se aproxima e nunca mais teremos que sofrer e viver neste mundo perdido. Eu acredito nisso e você?

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Curta nossa página no Facebook

Olá meus queridos irmãos e amigos. Que a paz do Senhor Jesus esteja com cada coração que visista este blog. Gostaria de aproveitar esta oportunidade e convidá-los a visitar nossa página no Facebook. Para tornar-se um participante vocês precisam apenas "CURTIR" a página. 

Curtam a página do Grupo Virtual Adventista no Facebook e compartilhe com seus amigos. Nosso objetivo continua sendo o mesmo: levar a mensagem do evangelho a todos. A nossa esperança é que Jesus volte logo e nos leve para a cidade que Senhor prometeu. 

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Perguntas Frequentes sobre a Arca de Noé


1. A arca de Noé foi encontrada?

Não. Várias expedições buscaram encontrá-la, mas sem sucesso. Algumas formações rochosas com ”forma de barco” foram encontradas na área do Ararat, mas não há nada especial com relação a elas. Há numerosos relatos de pessoas que dizem ter visto a arca, mas não há evidências para apoiar estes 18 relatos. Parece pouco provável que a arca venha a ser encontrada. Deve-se rejeitar as afirmações de que a arca foi encontrada, mas que é necessário mais dinheiro para obter as provas. Se a arca fosse realmente descoberta, os meios de comunicação iriam assegurar que todos soubessem disso rapidamente.

2. Como todos milhões de espécies de animais poderiam caber na arca?

Não poderiam. A arca foi projetada para incluir apenas vertebrados terrestres — aqueles que caminham sobre a terra e respiram através de narinas (Gênesis 7:22). Isso não inclui animais marinhos, vermes, insetos e plantas. Há menos de 350 famílias de vertebrados terrestres vivos. A maioria destes são do tamanho de um gato doméstico ou menor. Se cada família taxonômica estivesse representada na arca por um par de espécimes, e com as poucas famílias “limpas” representadas por sete pares, a arca deveria conter menos do que 1000 indivíduos. A arca poderia provavelmente acomodar dez vezes este número(1). A questão de espaço para os animais na arca não é um problema difícil.

3. É razoável supor que cada família taxonômica poderia ser representada por um único par ancestral na arca? Isto não irá exigir taxas evolutivas absurdas após o dilúvio?

Algumas famílias taxonômicas podem ser grupos que representam mais do que um par de espécimes ancestrais. Entretanto, um par pode ter sido suficiente na maioria dos casos. Sabe-se que algumas espécies atuais possuem suficiente variabilidade genética para produzir variações morfológicas equivalentes a gêneros diferentes (2). As taxas de mudança morfológica podem depender do grau de isolamento genético, da quantidade de stress ambiental e também do tempo (3).

4. O que se pode dizer sobre alimentação, água e saneamento para todos aqueles animais?

Estas questões não são discutidas na Bíblia. A água da chuva poderia estar disponível, tornando o armazenamento de água desnecessário. O alimento foi aparentemente guardado na arca (Gênesis 6:21-22). O Deus que revelou a vinda do dilúvio, instruiu Noé sobre como preparar a arca e dirigiu os animais para a arca, certamente cuidou da “logística” necessária para o cuidado deles.

5. O que se pode dizer sobre animais com alimento muito específico, tais como o coala que requer folhas de eucalipto?

Não sabemos se os coalas foram sempre restritos a folhas de eucalipto, ou se sua dieta mudou. Nem mesmo sabemos se os coalas existiram antes do dilúvio, ou se eles se diferenciaram a partir de um ancestral que tenha sido preservado durante o dilúvio. Possivelmente não haja um meio de obter a resposta.

6. Como os animais puderam encontrar seu caminho a partir da arca até a América do Sul ou a Austrália?

Não sabemos, mas parece provável que os animais foram dirigidos de forma sobrenatural para ir para a arca, e de novo para se dispersar a partir da arca. Isto pode ter sido obtido pela implantação de um impulso instintivo para migrar, ou pode ter sido através da ação direta de anjos. Alguns podem objetar sobre a invocação de atividade sobrenatural, mas esta é inerente a toda a história do dilúvio. Atividades sobrenaturais não implicam necessariamente violação de leis naturais, mas sim que os eventos foram dirigidos por seres de inteligência superior.

7. Que problemas não resolvidos sobre a arca de Noé são de maior preocupação?

Quantas espécies diferentes de animais foram salvas na arca de Noé, e quais são seus descendentes?

Como os vertebrados terrestres se espalharam da arca até sua atual distribuição?

Notas para as perguntas sobre a arca:

1. Para uma discussão criacionista sobre o espaço na arca, ver: Wodmorappe J. 1994. The biota and logistics of Noah’s ark. In Walsh R. E, editor, Proceedings of the Third International Conference on Creationism, July 18-23, 1994. Pittsburgh, PA: Creation Science Fellowship, p 623-631.

2. (a) Wayne R. K. 1986. Cranial morphology of domestic and wild canids: the influence of development on morphological change. Evolution 40:243-261; (b) Ver também as perguntas feitas sobre mudanças nas espécies.

3. Parsons P. A. 1988. Evolutionary rates: effects of stress upon recombination. Biological Journal of the Linnean Society 35:49-68.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Eu Tenho que Orar - Fernanda Lara

Apresentação da cantora Fernanda Lara e seu esposo Giordani Vidal no programa Clube da Música pela Rádio Novo Tempo. A música chama-se "Eu tenho que orar". É uma música linda de louvor e adoração ao Senhor. 


Inscreva-se no canal da Rádio Novo Tempo no Youtube e assistam outros vídeos. http://www.youtube.com/user/novotemporadio

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Glória a Deus em meio às provações


Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações. Tia. 1:2.
O jovem Claude de Praet passou cinco longos dias na prisão, antes de saber quais eram as acusações contra ele. Finalmente, na manhã do sexto dia, o carcereiro abriu a cela de Claude e o escoltou até a sala de interrogação. Três juízes estavam ali assentados em cadeiras com altos espaldares. Um escrivão esperava, com caneta e papel na mão, para anotar a declaração do prisioneiro. O oficial de justiça começou o interrogatório.
Claude estava sendo julgado por tão-somente uma razão. Suas crenças eram diferentes daquelas da Igreja/Estado. Ele aceitava a autoridade da Bíblia em vez da autoridade da Igreja. Ele cria que a salvação era através de Cristo Jesus, e não através dos sacramentos da Igreja.
Esse interrogatório aconteceu em 1556, na cidade de Gent, no que hoje é a Bélgica. Nós encontramos algo surpreendente acerca da fé desse homem nas cartas que ele conseguiu enviar da prisão. Falando sobre o seu julgamento, ele disse: “Meu coração arde no meu peito com alegria para com o Senhor, meu Deus, de maneira que todas as minhas dificuldades e ansiedades foram retiradas de mim, assim como o pó que varro das ruas.”
O que fez essa diferença? Ele estava feliz por poder testemunhar sobre o que Deus fizera em sua vida. Cada provação é uma oportunidade de testemunhar sobre a bondade de Deus. Podemos dar um testemunho positivo a favor de um Senhor que nos sustém, mesmo nos momentos difíceis da vida.
Claude de Praet viu o seu julgamento naquela corte como uma oportunidade de falar de Cristo. Você está enfrentando alguma provação difícil hoje?
Se abordarmos cada uma das dificuldades da vida a partir da perspectiva de trazer glória a Deus, nossas provações se tornarão um canal para testemunhar. Que a oração de cada coração seja: “Senhor, ensina-me a ver em cada provação uma oportunidade de trazer glória ao Teu nome.”
Pr. Mark Finley – Sobre a Rocha.
Fonte: SÉTIMO DIA

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Membros da Igreja Adventista são hostilizados por padres ortodoxos na Ucrânia

Os líderes religiosos jogaram água benta na tenda que distribuía materiais adventistas para quem se interessasse em recebê-los.

Um vídeo divulgado no Youtube mostra membros da Igreja Adventista sendo hostilizados por representantes da Igreja Católica Ortodoxa na Ucrânia. Uma tenda com materiais adventistas chegou a ser derrubada por padres que jogaram água benta nos fiéis que ali estavam.

A tenda divulgava materiais do canal de TV Novo Tempo e entregava livros, revistas e folhetos para quem passasse pela rua. Naquele dia uma procissão promovida pelos membros da igreja tradicional daquele país passou pela rua, os padres então se dirigiram até a tenda e hostilizaram e amaldiçoaram os membros adventistas.

O site Criacionismo, escrito pelo jornalista Michelson Borges, relata que os adventistas ainda foram ameaçados pelos representantes católicos que afirmaram que os destruiriam se não parassem de promover suas crenças.

Casos de intolerância religiosa entre cristãos não são noticiados com frequência, ainda mais em um país como a Ucrânia onde há liberdade religiosa. A população ucraniana é formada por mais de 80% de cristãos, sendo que mais da metade são ortodoxos e apenas 2,7% protestantes.


Fonte: GOSPEL PRIME

Nota: Não importa o que aconteça, o evangelho deve ser pregado. Neste mundo passaríamos por aflições até o fim, mas devemos erguer nossas cabeças, pois o Grande Dia do Senhor se aproxima. Não foi diferente com os discípulos e nem será com aquele que leva esperança aos sedentos da verdade. Precisamos erguer nossas cabeças e prosseguir com nossa missão. Que o Senhor nos capacite e nos dê sabedoria a cada dia, a fim de cumprirmos a ordem do Mestre.

terça-feira, 31 de julho de 2012

Curso Bíblico – Série Princípios



Para você que tem interesse em aprender ou aprofundar os conhecimentos já existentes e não sabe onde ou quem procurar, este blog disponibiliza gratuitamente o curso da SÉRIE PRINCÍPIOS.

Trata-se de uma série de 11 revistas que apresentam temas diversos e com importantes assuntos bíblicos, mas de uma forma de fácil compreensão e inovadora, diferente dos estudos bíblicos convencionais.

Não são as respostas que movimentam o mundo, são as perguntas. Experimente perguntar e as Escrituras lhe responderá. Clique nas lições abaixo para visualizá-las, no final de cada lição tem o link para fazer o download através do 4Shared:
________________________________________________
Lição 01 – Um pulo no escuro
Lição 02 – Trabalho escolar
Lição 03 – Tem Deus um livro?
Lição 04 – O sonho
Lição 05 – A pedra
Lição 06 – Bem e Mal
Lição 07 – Uma mancha no paraíso
Lição 08 – Se arrependimento matasse
Lição 09 – O preço do presente
Lição 10 – Matemática de Deus
Lição 11 – Um dia para aliviar o estresse
______________________________________


Fonte: BIOLOGIA TEÍSTA

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O jejum e a santificação


“Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda” (Isaías 58:8).

Em sua obra Coma Pouco e Viva Muito, Jean Rialland, fala dos benefícios físicos do jejum: “A finalidade do jejum, higienicamente é, portanto, contribuir para o repouso do organismo e permitir-lhe o trabalho de purificação. Com efeito deste, o organismo é deixado a si mesmo, sem influência alimentar ou medicamentosa, e começa imediatamente uma ordem e um expurgo que se denomina de desintoxicação’’.
Segundo Ellen G. White, o jejum realmente tem um poder terapêutico: “A intemperança no comer é muitas vezes a causa da doença, e o que a natureza precisa mais é ser aliviada da indevida carga que lhe foi imposta. Em muitos casos de doença, o melhor remédio é o paciente jejuar por uma ou duas refeições, a fim de que os sobrecarregados órgãos digestivos tenham oportunidade de descansar” (Conselhos Sobre Regime Alimentar, pág. 189). Porém, além de revitalizar o organismo, o jejum pode gerar um positivo resultado espiritual: “Agora e daqui por diante até ao fim do tempo, deve o povo de Deus ser mais fervoroso, mais desperto, não confiando em sua sabedoria, mas na sabedoria de seu Líder. Devem pôr de parte dias de jejum e oração. Pode não ser requerida a completa abstinência de alimento, mas devem comer moderadamente, do alimento mais simples” (Conselhos Sobre Regime Alimentar, págs.188-189).

O jejum na Bíblia - No Antigo Testamento, o jejum só era prescrito na lei para o Dia da Expiação, mas em determinadas épocas se multiplicavam os dias de jejum por comemoração de aniversários de lutos. Temos exemplos de pessoas que jejuaram por vários motivos. Os israelitas jejuaram após a morte dos filhos de Benjamim (Juízes 20:26). Davi e seus companheiros jejuaram por causa da morte de Saul (2 Samuel 1:12). Davi também jejuou quando intercedia pelo seu filho com Bate-Seba (2 Samuel 12:21-23); e Ester jejuou antes de interceder pelos judeus perante o rei Assuero (Ester 4:16). Josafá quando estava para enfrentar os filhos de Moabe e os filhos de Amom, convocou todo o Judá para jejuar ( II Crônicas 20:5)
O Novo Testamento fala que Jesus jejuou quarentas dias. Os judeus piedosos jejuavam duas vezes por semana, na segunda e na quinta-feira. Esta prática, em si mesma, não foi aprovada ou reprovada por Jesus, mas Ele ensinou que o jejum fosse sincero e não tivesse a finalidade de aparentar maior santidade. Como motivo de orgulho espiritual, a prática foi reprovada: “Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa’’ (Mateus 6:16).

O jejum e a santificação - Por outro lado, o jejum praticado por Jesus, tinha três objetivos fundamentais. Primeiro, estava ligado à oração e comunhão com o Pai. Segundo, como um meio para vencer os ataques de Satanás. Terceiro, um modelo espiritual para todos nós.
“Quando Cristo Se via mais tenazmente assaltado pela tentação, não comia nada. Confiava-Se a Deus, e mediante fervorosa oração e perfeita submissão à vontade de Seu Pai, saía vencedor. Os que professam a verdade para estes últimos dias, acima de todas as outras classes de professos cristãos, devem imitar o grande Modelo na oração” (Conselhos Sobre Regime Alimentar, pág. 186).
Para os nossos dias o jejum pode nos trazer vários benefícios espirituais. Dentre esses queremos destacar três: purificação do coração, cria uma situação favorável para a meditação na Palavra de Deus e para a oração. A orientação profética para nós é seguinte: “Para certas ocasiões, o jejum e oração são recomendáveis e apropriados. Na mão de Deus são o meio de purificar o coração e promover uma disposição de espírito receptiva. Obtemos resposta às nossas orações porque humilhamos nossa alma perante Deus”(Conselhos Sobre Regime Alimentar, págs. 187-188).
Em muitas ocasiões especiais o jejum foi praticado por Jesus e foi um recurso fundamental para que Ele se saísse vitorioso em todos os confrontos com as hostes satânicas. Agora pense: se Cristo que tinha uma visão espiritual tão profunda, necessitou do jejum, imagine nós. Como você tem enfrentado as suas lutas e provações? Tem usado esta ferramenta poderosa? Se não por que? Gostaria de lhe convidar para começar um programa de jejum semanal até o fim dessa jornada, aceita o desafio? Caso não tenha costume de jejuar sem ingerir nenhum alimento, comece um jejum com sucos naturais ou com uma refeição em 24 horas conforme aprendeu no SEE II. Certamente, como Jesus e os demais crentes, você deve ter lutas, tentações e provações no seu dia a dia, então em nome de Jesus passe a jejuar e sua vida espiritual vai ser outra. Vivendo essa experiência as pessoas por quem você está orando serão mais abençoadas e você será ainda mais do que elas. Aceita o desafio? Então em oração fale para a Trindade que a partir de agora você será mais um cristão a entrar nas fileiras daqueles que jejuam.

O verdadeiro jejum – Colocando em prática essa experiência sagrada a nossa mente será mais aberta para as necessidades do próximo, ou seja aquele que padece necessidade que está mais próximo a mim, em especial familiares, visinhos e amigos. Vivendo na presença do Pai da abundância será impossível ser indiferente ás necessidades dos que sofrem. Afinal quem são as mãos e pernas do Criador e Mantenedor dos necessitados? Não porventura as minhas? O jejum no seu sentido amplo está diretamente relacionado a esse assunto, ele tem um sentido também um sentido pró-ativo, escutemos o profeta Isaías a esse respeito: “Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante?” (Isaías 58:6-7).
Alice Gray, em seu livro Histórias Para o Coração, pág. 46, narra um fato que nos leva a refletirmos sobre “o verdadeiro jejum” do qual fala o profeta Isaías.
Logo depois do término da Segunda Guerra Mundial, a Europa começou a juntar os cacos que restaram. Grande parte da Inglaterra fora destruída e encontrava-se em ruínas. Talvez o lado mais triste da guerra tenha sido assistir às crianças órfãs morrendo de fome nas ruas das cidades devastadas.
Certa manhã muito fria de Londres, um soldado americano estava retornando ao acampamento. Quando ele virou a esquina, dirigindo um jipe, avistou um menino com o nariz pressionado contra o vidro de uma confeitaria. Lá dentro, o confeiteiro sovava a massa para uma fornada de rosquinha. Faminto e com os olhos arregalados, o menino observava todos os movimentos do confeiteiro. O soldado parou o jipe junto ao meio-fio, desceu, e caminhou em silêncio até o local onde o menino se encontrava. Através do vidro embaçado pela fumaça, ele viu aquelas rosquinhas quentes e de dar água na boca retiradas do forno. O menino salivou e deu um leve gemido quando o confeiteiro as colocou no balcão de vidro com todo o cuidado.
Em pé, ao lado do menino, o soldado comoveu-se diante daquele órfão desconhecido.
– Filho… você gostaria de comer algumas rosquinhas?
O menino assustou-se.
– Ah, sim… eu gostaria!
O soldado entrou na confeitaria e comprou uma dúzia de rosquinhas; colocou-as dentro de um saco de papel e dirigiu-se ao local onde o menino se encontrava, sob a neblina gelada da manhã de Londres. Ele sorriu, entregou-lhe as rosquinhas, e disse simplesmente:
– Aqui estão.
Quando o soldado se virou para se afastar, sentiu um puxão em sua farda. Ele olhou para trás e ouviu o menino perguntar baixinho:
– Moço… você é Deus?
Lógico que aquele homem não era Deus, mas ele praticou um ato divino. O mundo não será transformado por pessoas que apenas fazem longos jejuns e orações, mas quando homens e mulheres estiverem dispostos a quebrarem o jejum do faminto e atenderem as orações do próximo.
O verdadeiro jejum, pode aproximar o homem das verdades contidas na palavra de Deus, mas não pode distanciar o homem do sofrimento humano.

Miguel Pinheiro Costa é teólogo

terça-feira, 24 de julho de 2012

Participe do Grupo Virtual Adventista


Para você que está visitando o blog do Grupo Virtual Adventista e está lendo este post neste momento, gostaria de lhe dar as boas vindas e agradecer por sua visita. É muito bom ter você aqui!

Quero convidá-lo(a) a participar do Grupo Virtual Adventista, tornando-se um membro oficial. Para isto te convido a "Seguir" o nosso blog. Basta clicar no botão com a descrição: "Participar deste Site" localizado na coluna lateral direita da página. Desta forma você se tornará seguidor do nosso blog.

Existem outras formas de participar do Grupo Virtual Adventista. Veja:

Você poderá se inscrever no Yahoo Grupos através do link:

Você poderá participar do nosso Fórum:
http://grupovirtualadv.forumeiros.com


Temos uma página no Google Plus e Facebook:
https://plus.google.com/u/0/b/117092641938608175611/117092641938608175611/posts
http://facebook.com/GrupoVirtualAdventista/

Você poderá ajudar-nos enviando por e-mail, artigos e outros materiais que, posteriormente poderão ser postados no blog:

Você poderá participar do Grupo Virtual Adventista, fazendo o seu pedido de oração e agradecimento:
                



Você poderá participar do nosso blog fazendo o seu comentário nos posts e ajudando-nos a divulgar o Grupo Virtual Adventista para seus contatos de e-mail, para então levarmos a esperança de Jesus a todo munde nesta geração.

Agradeço muito a você que está sempre nos visitando. Este blog é bem simples, pois ainda falta muito conhecimento da minha parte em utilizar as ferramentas necessárias para uma interface mais bonita. Além do mais ainda não tenho condições financeiras para fazer deste blog uma ferramenta profissional, mas estou orando para que, se for da vontade de Deus, Ele prepare condições para isto. 

Estou feliz com este blog e tenho certeza que muitos estão orando para crescermos cada vez mais. O objetivo do Grupo Virtual Adventista é anunciar as boas novas da salvação e conto com você nesta obra.

Que o Senhor te abençoe e te guarde e lhe dê a paz.

Vagner Martines

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Pastor é preso por realizar estudos bíblicos em sua casa


O pastor Michael Salman foi preso no último mês após realizar estudos bíblicos em sua casa, na cidade de Phoenix, no estado americano do Arizona. Seu advogado, John Whitehead do Instituto Rutherford esteve na última semana no programa “FOX & Friends” onde, ao lado da esposa de Salman, falou sobre a prisão.

Salman foi levado à cadeia depois que um tribunal de Phoenix o considerou culpado de 67 violações em relação a um prédio onde ele hospeda um grupo de estudo semanal da Bíblia. Salman foi condenado a 60 dias de prisão, três anos de liberdade vigiada e ainda foi multado em 12.180 dólares.

O advogado afirmou ao anfitrião do programa, Steve Doocy, que os direitos constitucionais de Salman estão sendo violados, e que seu cliente é vítima de perseguição religiosa.

- A chave é – a Constituição garante o direito à liberdade de religião … o direito de se reunir e conversar uns com os outros onde quer que você esteja – em público ou em sua casa – afirmou o advogado.

- Você pode pensar que isso poderia acontecer em algum lugar como o Irã, ou em alguns dos países ao redor do mundo com o mesmo regime, mas acontecendo nos Estados Unidos, na minha opinião é tão chocante, é inacreditável – completou Whitehead, comparando o caso à opressão religiosa em países islâmicos.

Suzanne Salman, esposa do pastor, também falou no programa, e expressou seu choque e total descrença com a situação.

- Isso desafia a lógica, francamente. Eu não entendo que algo tão pequeno tenha se tornado assim tão grande. As pessoas fazem isso todo o tempo nos Estados Unidos – disse ela, quando perguntada por Doocy por que ter um estudo bíblico privado em casa se tornaria um problema. O apresentador ressaltou ainda em sua pergunta sobre o estudo bíblico em casa: “As pessoas fazem isso no meu bairro o tempo todo”.

O Procurador da cidade de Phoenix, Vicki Hill, afirmou que o caso não se trata liberdade religiosa, mas sim às regras de zoneamento da cidade.

– Isto é parte da permissão de zoneamento e adequação. Quando você está promovendo uma reunião de pessoas como ele faz continuamente, temos preocupações sobre as pessoas serem capazes de sair da instalação corretamente, caso haja um incêndio, e levamos em conta tudo isso – justificou Hill.

Michael Salman, é pastor ordenado da Igreja de Deus em Cristo (Church of God in Christ), e argumenta ter direito constitucional de cultuar em sua propriedade privada. No entanto, a cidade de Phoenix insistiu que a questão é sobre violações de zoneamento e código, não à liberdade religiosa.

De acordo com o The Christian Post, no centro da disputa de Salman com a cidade está uma construção de 2.000 metros quadrados em seu quintal, na qual ele realizou reuniões de estudo da Bíblia com cerca de 30 ou 40 pessoas que se reuniam semanalmente. O edifício tem um púlpito e cadeiras.

A promotoria afirma que Salman recebeu uma licença de construção para converter uma garagem para uma “sala de jogos,” e não em uma igreja.

- Você pode fazer todos os tipos de reuniões em uma base regular, mas por algum motivo, se eles te chamam de uma igreja, você está ilegal. E mais uma vez, é o que os regimes fazem – frisou o advogado.(Gospel+)

Fonte: NOTICIÁRIO EVANGÉLICO

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Richard Dawkins Fica Sem Palavras

Veja como Richard Dawkins, o mais conhecido "pai dos ateus", fica sem palavras às perguntas de um cristão.


quinta-feira, 5 de julho de 2012

Como preparar-se para o encontro com o Senhor


Vi que não devemos retardar a vinda do Senhor. Disse o anjo: “Preparem-se, preparem-se para o que há de vir sobre a Terra. Correspondam suas obras à fé que vocês professam.” Vi que a mente deve estar firme em Deus, e que nossa influência deve testemunhar de Deus e Sua verdade. Não podemos honrar o Senhor quando somos descuidosos e indiferentes. Não O podemos glorificar quando estamos desalentados. Cumpre-nos ser sinceros para assegurar a salvação do próprio ser, e para salvar a outros. Devemos dar a isto toda a importância, e tudo mais deve vir em segundo lugar.
Vi a beleza do Céu. Ouvi os anjos cantarem seus cânticos arrebatadores, rendendo louvor, honra e glória a Jesus. Pude então avaliar alguma coisa do assombroso amor do Filho de Deus. Ele abandonou toda a glória, toda a honra que tinha no Céu, e tão interessado estava em nossa salvação, que suportou paciente e mansamente toda a indignidade e desprezo que o homem sobre Ele pôde amontoar. Foi ferido, machucado, moído; foi estendido na cruz do Calvário, e sofreu a mais angustiosa das mortes, para que da morte nos salvasse; para que fôssemos lavados em Seu sangue, e ressuscitados para viver com Ele nas mansões que está preparando para nós, e pudéssemos desfrutar a luz e a glória do Céu, ouvir os anjos cantarem, e com eles cantarmos também.
Vi que todo o Céu está interessado em nossa salvação; e seremos nós indiferentes? Seremos descuidosos, como se fosse coisa de pouca importância estarmos salvos ou perdidos? Menosprezaremos o sacrifício feito por nós? Alguns assim têm feito. Têm brincado com a misericórdia que lhes é oferecida, e o desagrado de Deus está sobre eles. O Espírito de Deus não será para sempre ofendido. Retirar-Se-á, caso seja ofendido por um pouco mais de tempo. Depois de ter sido feito tudo quanto Deus podia fazer para salvar os homens, caso eles mostrem por sua vida que menosprezam a oferecida misericórdia de Jesus, a morte será o quinhão deles e elevado o preço a ser pago. Será uma terrível morte; pois terão de sofrer a angústia sentida por Cristo, na cruz, a fim de adquirir para eles a redenção que recusaram. E compreenderão aí o que perderam — a vida eterna, a herança imortal. O grande sacrifício feito para salvar vidas humanas, mostra-nos o valor delas. Uma vez perdida a preciosa vida, está perdida para sempre.
Vi um anjo com balanças na mão, pesando os pensamentos e interesses do povo de Deus, especialmente dos jovens. Num prato estavam os pensamentos e interesses que tendiam para o Céu; no outro achavam-se os que se inclinavam para a Terra. E nessa balança era lançada toda leitura de romances, pensamentos acerca do vestuário e exibição, vaidade, orgulho, etc. Oh! que momento solene! Os anjos de Deus em pé com balanças, pesando os pensamentos de Seus professos filhos — aqueles que pretendem estar mortos para o mundo e vivos para Deus! O prato cheio dos pensamentos da Terra, vaidade e orgulho, desceu rapidamente, e não obstante peso após peso rolou do prato. O que continha os pensamentos e interesses que se voltavam para o Céu subiu ligeiro enquanto o outro descia e, oh! quão leve estava ele! Posso relatar isso pelo que vi, mas nunca poderei dar a impressão solene e vívida gravada em minha mente, ao ver o anjo com a balança pesando os pensamentos e interesse do povo de Deus. Disse o anjo: “Podem esses entrar no Céu? Não, não, nunca. Diga-lhes que a esperança que agora possuem é vã, e a menos que se arrependam depressa e obtenham a salvação, hão de perecer.”
Uma forma de piedade não salvará ninguém. Todos devem possuir profunda e viva experiência. Unicamente isso os salvará no tempo de angústia. Então será provada de que espécie é sua obra; e se ela for ouro, prata e pedras preciosas, eles serão ocultos no Seu pavilhão. Mas, se sua obra for madeira, feno ou palha, coisa alguma os poderá proteger do furor da ira de Jeová. [...]
Vi que muitos se comparam entre eles mesmos, e comparam sua vida com a de outros. Não deve ser assim. Ninguém, senão Cristo, nos é dado como exemplo. Ele é nosso verdadeiro modelo, e todos devem esforçar-se por imitá-Lo. Ou somos coobreiros de Cristo, ou coobreiros do inimigo. Ou ajuntamos com Cristo, ou espalhamos. Ou somos cristãos decididos, de todo o coração, ou nada somos. Diz Cristo: “Tomara que foras frio ou quente! Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da Minha boca”. Apocalipse 3:15, 16.
Vi que muitos mal sabem ainda o que seja abnegação ou sacrifício, ou o que seja sofrer por amor da verdade. Mas ninguém entrará no Céu sem fazer algum sacrifício. Cumpre cultivar o espírito de abnegação e sacrifício. Alguns não se sacrificaram a si mesmos, a seu corpo, sobre o altar de Deus. Condescendem com o temperamento caprichoso, impulsivo, satisfazem os próprios apetites e cuidam dos próprios interesses egoístas, sem consideração para com a causa de Deus. Os que estiverem dispostos a fazer qualquer sacrifício pela vida eterna, tê-la-ão; e vale a pena que soframos por sua causa, que por ela crucifiquemos o próprio eu, e sacrifiquemos todo ídolo. O excelente peso eterno de glória absorve tudo, e eclipsa todo prazer terreno. — Testimonies for the Church 1:123-126.
Ellen G. White, Conselhos para a Igreja, Capítulo 3.
Fonte: SÉTIMO DIA
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...